Seus amigos estão na Barsa ou no Google?

Depois de tanto tempo, o que temos em comum?
As nossas relações pessoais foram modificadas drasticamente a partir da ascensão das redes sociais na internet.
Plugados num mundo virtual, conseguimos obter informações em segundos, coisa que a 10 anos atrás seria muito demorado. E nesta mesma velocidade expomos nossas vidas, reencontramos pessoas que conhecíamos há décadas mas deixamos de ter contato.
Porém uma reflexão surgiu noutro dia, justamente com uma amiga que não via à muito e nos tornamos a encontrar pelo Facebook, falando pelo telefone: as pessoas que esperamos encontrar na rede são as mesmas de 10, 20 ou 30 anos atrás? Estarão da mesma maneira como as imaginamos? Aqueles que tínhamos na lembrança mudaram seu modo de pensar e encarar a vida? Será que eles têm para conosco a mesma preocupação que tivemos para com eles? Será que nós consideramos mais a eles do que eles à nós?
Lamentavelmente constatamos que os relacionamentos que tínhamos naquele momento passado com determinadas pessoas ficaram apenas em nossas lembranças e não mais voltarão.
É muito fácil e rápido reencontrar “perfis”: você “clica” ou digita o nome que quer e vem uma série de opções para correr atrás e tentar contato com aquele(a) velho(a) amigo(a) da faculdade, colégio, ginásio, grupo escolar ou do parquinho.
Mas prepare-se: as pessoas nem sempre irão querer te ver, não vão te adicionar, nem te convidar para um grupo especial, somente porque você pertenceu ao seu passado.
Refletindo ainda mais um pouco, nós duas chegamos a uma constatação: muitas vezes uma pessoa não quer manter um contato conosco, não porque não tenhamos sido bons amigos, mas porque de alguma maneira somos uma lembrança de alguma coisa não boa em sua vida que ele relaciona com nossa presença.
Encontrar uma pessoa que a gente considerava como amiga e não receber um retorno na mesma medida pode chatear a alguns que, como eu, vive cobrando inconscientemente delas uma postura de “meu velho amigo”.
Para alguns, a decepção chega a ser tão grande que passam para o “lado negro da Força” e afirmam categoricamente que “não existe amizades, existem interesses!”.
Que “enquanto você tem dinheiro todo mundo está com você!”, que “como eu não sou da turma, não ligam mais pra mim”.
A internet pode servir como um exercício de amadurecimento, se quisermos. Reconhecer que algumas pessoas se vão e não voltam, que algumas mudam seu modo de ver a vida assim como nós também mudamos (e que bom que isso aconteceu!), que algumas simplesmente não gostam da gente e ponto, e mesmo assim não se abalar é crescer internamente.
E estar atento que nossa vida é muito mais frágil agora do que quando não expúnhamos nossas emoções e idéias virtualmente. Que agora qualquer informação pode ser manipulada, porém o olho no olho no reencontro vai contrariar a memória que guardamos destes velhos conhecidos.
Assim, antes, quando ficávamos imaginando que fim deu aquela amiga querida, guardávamos um pensamento confortador por não termos este meio instantâneo de comunicação (antes a gente precisava quebrar a cabeça numa Enciclopédia Barsa ou Conhecer pra fazer pesquisas escolares, hoje o Google mostra tudo).
Provavelmente algumas amizades também serão assim, instantâneas como a internet, sem o aprofundamento daquelas que demorávamos anos para solidificar.
É a nova face das relações sociais e cabe a nós selecionar, da mesma maneira como também nos selecionam, não se sinta culpado(a)!
Use e abuse da pesquisa. Procure quem você quer e se não der, deixe ir sem mágoa.
Nossa! Ele(a) era tão bonito(a) antes...
 

Anúncios

3 respostas em “Seus amigos estão na Barsa ou no Google?

  1. bela reflexão..tenho pensado muito sobre o assumto..e evjo cada vez mais que:a internet é muito bom..mas…muito invasiva..e não quero isso na minha vida..sai das famosas redes sociais..as que hoje dão ibope..não quero mais isso em minha vida..bjo

    • É verdade, Li! Estamos fragilizados pela exposição instantânea. Mas, se soubermos usar, não vai nos machucar. É preciso ser bem seletivo nesta área e cuidadoso com os relacionamentos. Bjs!

  2. bela reflexão..tenho pensado muito sobre o assumto..e vejo cada vez mais que:a internet é muito bom..mas…muito invasiva!!!e as pessoas que frequentam fazem absoluta questão de mostrar isso..colocando tudo que fazem!!..e não quero isso na minha vida..sai das famosas redes sociais..as que hoje dão ibope..não quero essa esposiçaõ!!não sou astista de tv para dar ibope!!deleta a mensagem anterior..ok….bjo grande

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s