Casinha de Pão de Mel

dezembro13 017
Vasculhei revistas guardadas com “receitas para fazer um dia” e preparei esta Casinha de Pão de Mel, baseando-me na receita e moldes da revista Festas Faça Fácil (1993), editora Globo, cuja edição traz receitas de Natal, tais como pãezinhos de São Nicolau, pão estrela, buche de Noel, biscoitos de especiarias, bolo de Natal,…
Foram necessárias algumas adaptações com relação ao tempo no forno, mas a massa ficou saborosa e farei biscoitos de mel com ela (olha a dica!). Deixo aqui a receita que fiz, com o meu tempo de forno:
Casinha de Pão de Mel (fazer 2 receitas para a casinha)
Massa:
4 col(sopa) de mel (90 g)
1 xícara (chá) de açúcar mascavo
3 col (sopa) de manteiga ou margarina sem sal (45g)
2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo (375g)
1 col (chá) de canela em pó + 1/2 col (chá) noz-moscada + 1/2 col(chá) cravo moído + 1 col (chá) de gengibre em pó
1 col(sopa) de raspas de 1 limão
1 col(sopa) de suco de limão
1 ovo
2 col (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
gotas de essências (laranja, nozes, baunilha, mel, cravo…)
Preparo:
Pré-aqueça o forno a 180ºC, unte as costas de um tabuleiro de 30X45 cm, cubra com papel manteiga também untado.Reserve.
Coloque o mel+açúcar+manteiga numa tigela e leve ao microondas por 1 minuto, para derreter, retire, mexa e se necessário para dissolver o açúcar coloque mais 20 seg (PA).Reserve.
Numa tigela grande, coloque a farinha (reserve meia xícara de farinha sem usar) com as especiarias, o sal, o bicarbonato e as raspas de limão. Faça um buraco no meio da farinha e despeje a mistura de mel no centro com o suco de limão e comece a misturar com a espátula. Acrescente o ovo e amasse para homogeneizar, colocando aos poucos a 1/2 xícara de farinha que ficou à parte. Aromatize com a essência de sua preferência.
Abra a massa sobre um plástico enfarinhado, deixando no tamanho do fundo do tabuleiro e na espessura de 0,5cm. Se você amassar um pouco o plástico no qual estirou a massa, formará efeitos interessantes, que ficarão no pão de mel assado.Com cuidado, vire sobre o tabuleiro, apare as bordas e leve para assar por 15 a 20 minutos. É preciso que ele fique firme e dourado, mas se deixar muito tempo ficará duro e não será possível cortar as peças.
Quando sentir que está firme, retire do forno e coloque sobre uma grade reta para amornar.
Ainda morno, recorte as peças (se esfriar não será possível cortar) com uma faca afiada e reserve cuidadosamente, para não quebrarem. Estude a melhor maneira de ordenas os moldes sobre o pão assado, para não haver desperdício.
Observação: para a casinha são necessárias duas receitas. Enquanto uma está assando, faça outra.
molde da casinha pão de mel
Depois das peças recortadas, é hora de juntá-las.
Montagem:
Defina uma superfície na qual ficará a casinha (um prato retangular) e monte as peças, fixando-as com glacê real e com palitos de dente. Vá devagar, não tenha pressa.
Deixe de lado balas de goma, confeitos coloridos e prateados, palitos de chocolate, etc.
Preparei 250g de glacê real, mas 300g serão melhor para fixar as peças e decorar a casinha. Com o glacê, faça efeitos de neve (bico de confeitar ou saquinho furado). Não quer ter muito trabalho? Compre o Glacê Real da Arcor, pacote de 1 kg. É prático e dá certo. Assim você usa o que precisa e guarda o restante para outras decorações. Lembre-se que as balinhas deverão ser fixadas com o glacê real ainda mole, por isso faça a decoração por partes, a seu gosto.
dezembro13 013

dezembro13 019
Depois de terminada a decoração, deixe secar bem o glacê antes de mexer a casinha, para não quebrar.
Penso que posso fazer uma casinha menor, diminuindo o tamanho das paredes (por exemplo 16cm) e do telhado (por exemplo 19 cm), ou torná-la mais parecida com uma casinha de floresta, aumentando o ângulo das paredes frontal e do fundo.

Tenho certeza que você, que é muito caprichosa, vai fazer bonequinhos de pão de mel para decorar esta casinha, não vai? Fica aí a ideia.

Feliz Natal!!

Bolo de mexerica, versão simplificada

abril2013 073
Fiz uma versão simplificada do Bolo de Mexericas da Claudia e da Izolina, que já rolou pelo Facebook e foi aprovada pelas amigas. Se quiser experimentar, será um prazer compartilhar a receita com você!
Pré- aqueça o forno à temperatura média e unte e enfarinhe uma forma média de buraco.
Bata no liquidificador:
1 mexerica grande picada, sem o branco central e sem as sementes (use a que você tiver, seja carioca, polkan, bergamota, tangerina…)
3 ovos grandes ou 4 pequenos, inteiros
meia xícara (chá) de óleo
1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar (pode ser o refinado ou o mascavo)
Desligue o motor e acrescente 1 xícara (chá) de farinha de trigo, bata um pouco, desligue e acrescente mais 1/2 xícara (chá) de farinha, batendo novamente. Verifique o ponto da massa: se estiver muito aguada, coloque mais meia xícara (chá) de farinha. Se ficou um pouquinho mais grossa que a massa de panquecas está bom. Desligue o motor e acrescente 1 colher (sobremesa) de fermento em pó, misturando manualmente.
Coloque a massa na forma e leve para assar por 30 a 35 minutos (depende do seu forno…).
Deixe amornar para retirar da forma e polvilhe açúcar de confeiteiro ou calda de laranja por cima.
Se quiser usar farinha integral, use meio a meio com a farinha comum.
Não experimentei, mas acredito que também fica bom feito com amido de milho e farinha de arroz (sem gluten).

Costurando para minha boneca.

janeiro 2013 059 Eu desmontei um armário de meu quarto, que estava de mofo e bolor até a alma, por conta de uma infiltração na parede externa do prédio.
Foi uma boa medida, uma vez que livrei bastante espaço no ambiente, desocupei um armário inútil e acabei encontrando coisas há muito esquecidas. Dentre estas, duas bonequinhas que eu ganhara de minha avó Cecília entre as décadas de 60 e 70.
janeiro 2013 061Esta bonequinha é uma daquelas que ainda ficavam de pé sozinhas, fechavam os olhos quando deitadas, tinham o corpinho cheínho, o rosto de menina e as roupinhas parecidas com as que as crianças usavam. Seu vestido original (um branco com rendinhas e uma florzinha de aplique) há muito se perdeu, junto com seu sapatinho de plástico. Fiz um de flanela há tempos, mas também ficou feio e velho.

janeiro 2013 064 O que eu nunca havia notado, pois as crianças daquela época gostavam dos brinquedos que ganhavam e não lhes via os defeitos, é que uma perninha desta boneca é mais curta que a outra, provavelmente um defeito de fábrica. Ela “ficava de pé” com uma certa ajuda…

janeiro 2013 070 Resolvi colocar o artesanato em dia e fazer um vestidinho e sapatinhos para ela, aproveitando retalhos. Optei em fazer um vestido como o original (mais simples que aquele), da época. Ela ganhou até uma calcinha de malha.

janeiro 2013 066 janeiro 2013 065janeiro 2013 062 Os sapatinhos foram individualizados, visto que tive que fazer uma “palmilha” com um pedaço de bandejinha de isopor para nivelar as duas pernas, e confeccionados com feltro.

janeiro 2013 069 janeiro 2013 068 Não coloco o molde deste vestido e sapatinho, porque foi feito para esta boneca, mas se houver interesse publico posteriormente.
A próxima a ganhar uma roupinha será minha Susie antiga, com cara de menina-moça, também mais gordinha que as atuais “anoréxicas ching-ling”. Mas isto é outra postagem…

Bolo de Laranja com farinha integral e aveia

bolo de laranja

Bolo de Laranja com farinha integral

Já publiquei esta receita, mas com farinha comum. Esta agora leva farinha integral e aveia também, além do açúcar mascavo. Fica um bolo mais firme, não massudo nem fofinho (bolo de lanche).
Ingredientes:
3 ovos separados, claras batidas em neve
200g de açúcar mascavo (1 copo)
100g de açúcar refinado ( 1/2 copo)
150g de farinha de trigo integral (1 copo)
75g de farinha de trigo comum (1/2 copo)
Meio copo de aveia
1 xícara (chá) de óleo
1 laranja grande, picada com casca, sem o miolo e as sementes
1 pitada de sal
1 colher (sopa) de fermento em pó
Essência de laranja (opcional)
bolo de laranja
Pré-aqueça o forno a temperatura média (180ºC); unte e enfarinhe uma forma de bolo de buraco.
Bata as claras em neve.
Bata no liquidificador a laranja com as gemas e o óleo.
Misture as farinhas com a aveia e o fermento à parte.
Adicione aos poucos e alternadamente às claras em neve o creme de laranja e as farinhas, mexendo delicadamente. Acrescente a pitada de sal, mexa e coloque a massa na forma para assar por cerca de 30 a 40 minutos (conforme seu forno).
Desenforme quando quase frio.
Obs: minha medida de copo é a de 200 ml, que não chega a ser aquela do copo de requeijão (250 ml).
bolo de laranja

31 de dezembro de 2012 – Final de Ano

Eu já publiquei uma reflexão no meu outro blog – Cyblog da Cybele – sobre a Corrida de São Silvestre, de maneira que não vou me repetir neste, mas sim colocar um colorido mais retrô e familiar.
A lembrança do final de ano que nós, os paulistanos que são da minha geração (1950/1960), tínhamos era a de ficar esperando a Corrida de São Silvestre à noite, por volta das 23 horas, quando muita gente ia até o percurso prestigiar os corredores (em frente ao prédio da Gazeta e seguindo pela Av. Paulista) ou ficava grudada na TV vendo todo o trajeto.
Minha bisavó Joaninha Meloni (que todo ano comemorava 86 anos!) era uma das fãs da Corrida e acompanhava tudo com muito gosto e com os comentários de sua geração: “- Ah! O corredor africano venceu de novo! Também pudera: eles vivem fugindo todo os dias dos leões, eles têm que correr bem daquele jeito!” E quando um brasileiro chegava a uma boa posição ela e meu avô João ficavam exaltados.Meu avô era corredor no seu tempo de soldado do Exército Brasileiro (idos de 1920) e ganhou algumas medalhas nos jogos internos.
E como éramos classe média baixa, descendentes de italianos pobres e trabalhadores, não tínhamos muitos luxos nas comemorações: a “vó Cecília” assava um pernil, fazia um cuscus, cozinhava algumas castanhas portuguesas (nosso luxo!) e comíamos muitas uvas niágara, pêssegos, melancia e figos frescos. Tinha vinho de garrafão, que também era usado para fazer “sangria” para as crianças (nós bebíamos e dormíamos cedo, por que será?!?). Um “champanhe” Cereser doce (porque a bisavó gostava). O guaraná era o Antarctica de garrafinha e tampa com rolha no fundo. Chegava meia-noite, todos nos cumprimentávamos e logo cada um seguia para sua casa. Reuníamos no dia seguinte para o almoço, com macarrão feito em casa e o “rescaldo” da noite anterior. Nada de estresse. Nada de roupa especial para dar sorte, somente as pessoas juntas conversando e as crianças brincando no quintal.
Enquanto eu escrevo esta última postagem de 2012, escuto a reportagem da TV Gazeta, que ficou ligada para eu acompanhar o resto da São Silvestre, com um “show erótico” de final de ano de um “famoso” e suas bailarinas sexuais no palco. Que pena! Merecemos coisa melhor do que isso.
Tudo tem que mudar, mas para melhor, a meu ver.
Mudar só por mudar nada significa, se não se constrói coisa útil para quem está ao nosso lado. Não vejo mudanças aqui: vejo retrocesso. Voltando como se estivéssemos nas fazendas de engenho e senzalas, com os escravos servindo aos senhores, só que com o agravante destes escravos (e principalmente as escravas) estarem entorpecidos(as) por uma falsa liberdade de expressão e pelos produtos “chig-ling” facilmente encontrados em qualquer camelô.
Para os que não estão anestesiados, felicidades no seio de suas famílias e com os bons amigos de sempre!!! Muitos abraços, muita conversa, muitas risadas.
Poucos abusos e muito cuidado com excesso de bebida e os fogos de artifício (combinação nada indicada!).
Comam coisas boas, mas acima de tudo muitas frutas!!
Felicidades para todos em 2013!!
dezembro12 105

Massa para salgadinhos (empadinha, mini quiche, meia-lua)

dezembro12 091 Novamente a Revista Nestlé com Você (junho 2012) me deu uma ótima receita, que repasso e recomendo.
É uma massa de salgadinhos (empadinha, meia-lua, mini quiche, mini empada) muito leve e deliciosa de se trabalhar

dezembro12 090Fiz 4 mini quiches de 12 cm de diâmetro e 10 empadinhas pequenas fechadas.
Meus recheios foram de fundo de alcachofra refogado e queijo caseiro tipo ricota temperada (veja no final na postagem).

A receita original da Cozinha Nestlé:
1 pote de iogurte natural integral
2 gemas
200g de manteiga gelada picada (cerca de 1 xícara de chá)
Meia colher (sopa) de Fondor
4 xícaras (chá) de farinha de trigo
Misture os ingredientes, acrescentando a farinha aos poucos até a massa desgrudar das mãos.
Embrulhe em filme plástico e leve para a geladeira para descansar por 6 horas.
Abra a massa em superfície enfarinhada e corte em círculos com um cortador, para formar as meias-luas, empadas ou mini quiches.
Forre forminhas de empada com a massa (não precisa untar as formas), coloque 1 colher (chá) de recheio, feche com uma tampinha de massa, aparando as bordas com os dedos, pincele gema de ovo e leve a assar em forno pré aquecido (180ºC) por 30 minutos ou até dourar.
Rende 30 meias-luas, 40 mini quiches e 30 mini empadas.
Minhas considerações:
Não coloquei o Fondor e nem sal na massa.
Deixei menos tempo a massa na geladeira (5 horas), mas é importante não manusear muito a mesma, para não ficar borrachenta, misturando com a ponta dos dedos.
Depois de recheadas, tampadas e pinceladas com gema batida, coloque as forminhas em uma assadeira. Se forem de tamanhos diferentes, coloque sempre as maiores antes (10 minutos ou mais) e só depois as menores, para assarem juntas.
Recheio:
Fundos de alcachofra refogados
dezembro12 093
200 g de fundos de alcachofra congelados, picados bem miudinho (como se fosse palmito picado)
1 tomate grande picado, sem sementes
2 ovos cozidos duros, picados
3 colheres (sopa) de salsinha picada
1 colher (sopa) de manjericão picado
1 cubinho de caldo de legumes ou de galinha
3 colheres (sopa) de óleo
1 colher de amido de milho (maisena)
1 xícara (chá) de leite
Refogue no óleo os ingredientes acima na ordem em fogo brando, mexendo sempre. Coloque o amido dissolvido no leite no final e ainda mexendo, deixe até engrossar um pouco. Reserve e empregue frio.
Queijo caseiro cremoso:

dezembro12 095
Prepare com antecedência o queijinho tipo ricota, levando para ferver 1 litro de leite integral. Assim que começar a subir, diminua o fogo e jogue 1 xícara (café rasa) de vinagre branco ou suco de limão, mexendo rapidamente. Vai talhar. Desligue o fogo e deixe alguns minutos, coe numa peneira fininha (ou em um tecido de gaze) para retirar o soro. Depois é só empregar. Para 1 litro de leite integral você irá obter cerca de 1 xícara a 1 e meia xícara (chá) de queijo (dá um ótimo patê, quando temperado!).
Numa panela, coloque 2 colheres (sopa) de óleo e dissolva 1 cubinho de caldo de galinha ou legumes. Despeje o queijinho e misture com salsinha picada. Coloquei cerca de 150 g de queijo fresco que eu tinha, picado em cubinhos,depois também adicionei 1 colher de amido de milho (maisena) dissolvida em 1 xícara (chá) de leite, misturei até engrossar um pouco e reservei.
Sobre os dois recheios (e antes de fechar a quiche) coloquei um pedacinhos de blanquet de peru, mas é opcional.

Trabalhos terminados: colcha e biscoitos

colcha e biscoitos

dezembro12 027 Mais dois itens riscados de minha lista de pendências, graças a Deus!
Terminei uma das colchas de crochê e assei, decorei e embalei duas fornadas de biscoitos de Natal, que estão guardadas na “cestinha da Chapeuzinho Vermelho”, já que seu Lobo foi embora (e eu estou mais para vovózinha!)
A receita dos biscoitos está no blog, mas para quem não quer procurar: 100g de açúcar + 200g de manteiga ou margarina + 300g de farinha de trigo + 1 gema de ovo ou 3 colheres (sopa) de leite, se precisar para dar o ponto. Fica parecida com massa de macarrão e você pode colocar uma pitada de canela ou gengibre ou noz moscada (bem Natal!), decorar com fondant (1 xícara de chá de açúcar de confeiteiro com pingos de água ou suco de limão até dar o ponto de um creme que possa ser espalhado sem escorrer). Assa rápido e fica crocante (não deixe ficar moreninho).
A colcha foi feita com quadradinhos de crochê unidos por ponto baixíssimo (pode ser também com ponto invisível), um a um formando tiras e estas unidas entre si. Sim, demora bastante…
Próxima etapa: pintar a cristaleira e o buffet da sala.

Bolinhos de Peixe

Bolinhos de peixe

Bolinhos de peixe

Ficam gostosinhos e leves, um bom aperitivo.
Ingredientes:
500 a 600g de peixe branco (usei o Saint Peter) ou pescada (cuidado com as espinhas), cortado em cubos
metade de uma cebola picadinha
1 colher (sopa) de cheiro-verde ou salsinha picada
um pouco de manjericão picado
1 colher (café) de sal
1 ovo
1 xícara (chá rasa) de farinha de rosca

Coloque o peixe, o ovo, a cebola e os temperos no processador de alimentos e bata um pouco. Coloque esta massa numa tigela e acrescente a farinha de rosca. Amasse e deixe descansar um pouco, para pegar o ponto.
Faça bolinhas do tamanho de nozes, passe em um ovo batido, depois em um pouco de farinha de rosca e frite em bastante óleo quente, até dourar.
Acompanhe com algum molho de sua preferência (rosé, maionese caseira, molho tártaro, molho de ostras, etc).

dezembro12 005

Flores de Melão e Morangos

Há quatro dias faz muito calor em São Paulo, além de baixa umidade do ar.
Sem vontade de comer, uma frutinha ou outra sempre desce bem.
Aproveitei o melão e os morangos que tinha e fiz “flores de fruta”, para comer rapidinho.

Use um melão bem docinho, aquele que você mais gostar (amarelo, verde, laranja) e uma bandeja de morangos pequenos e vermelhos. Parta o melão ao meio e retire as sementes e a polpa fibrosa; corte uma ou duas fatias de 1 a 2 cm de espessura e com um cortador de biscoitos (flor, estrela ou outra forma) faça as formas da  “pétala”; mantenha a parte do melão que não utilizou como base; fixe os morangos lavados no melão com palitos, formando uma cesta de frutas.

 

 

 

 

Fica bem bacana para decorar uma mesa de uma reunião improvisada, ou para decorar alguma sobremesa.

Use os cortadores de biscoito que tiver e os melões que mais gostar, formando uma cestinha colorida e saudável.

Frigideira de Bacalhau


Você, como eu, está cansada, não aguenta mais ficar de pé na frente da pia cortando e preparando coisas e mais coisas?
Faça esta receita de bacalhau com batatas na frigideira, super fácil e rápido.
A quantidade de bacalhau salgado fica a seu gosto, mas nesta receita eu usei 500g, que deixei de molho em água com uma pitadinha de sal e troquei de 3 em 3 horas por 3 vezes. Experimente um pedacinho: não deve tirar todo o sal, senão fica ruim.
Cozinhe em água até ficar tenro. Aproveite o cozimento do bacalhau para cozinhar batatinhas médias (na mesma água), cerca de 500g também, lavadas as cascas (eu esfrego a esponja mesmo!) e cortadas em quatro, somente para começar a amolecer (deixe firme).
Corte em pétalas metade de uma cebola e reserve.
Cozinhe 3 ovos por 10 minutos e reserve.
Pique um tomate sem as sementes ou corte em pétalas e reserve.
Separe meia xícara (chá) de azeitonas recheadas.
Pique meia xícara (chá) de cheiro-verde. Junte um pouco de manjericão picado e 1 folha de louro.
Meia xícara (chá) de azeite
Preparo:
Depois de cozido o bacalhau, separe a pele e as espinhas, deixando pedaços grandes.
Numa frigideira alta, refogue a cebola no azeite até começar a ficar translúcida e então junte as batatas cozidas e picadas. Mexa de vez em quando, para que fiquem douradinhas. Então, acrescente o bacalhau, mexendo para incorporar. Deixe uns minutos.
Acrescente a azeitona, o tomate picado, os temperos e deixe fritar por mais alguns minutos. Prove o sal e corrija se necessário.
Coloque na travessa de servir e por cima os ovos picados, tudo regado com mais um pouco de azeite.
Eu usei uma pitadinha de açafrão da terra (o amarelo) na preparação e se você gostar pode usar também páprica em seu lugar.
Servi 4 pessoas com este prato e entre o cozimento e a apresentação transcorreram 45 minutos, trabalhando bem tranquila…
Dica para quem passa a Páscoa sozinho.