31 de dezembro de 2012 – Final de Ano

Eu já publiquei uma reflexão no meu outro blog – Cyblog da Cybele – sobre a Corrida de São Silvestre, de maneira que não vou me repetir neste, mas sim colocar um colorido mais retrô e familiar.
A lembrança do final de ano que nós, os paulistanos que são da minha geração (1950/1960), tínhamos era a de ficar esperando a Corrida de São Silvestre à noite, por volta das 23 horas, quando muita gente ia até o percurso prestigiar os corredores (em frente ao prédio da Gazeta e seguindo pela Av. Paulista) ou ficava grudada na TV vendo todo o trajeto.
Minha bisavó Joaninha Meloni (que todo ano comemorava 86 anos!) era uma das fãs da Corrida e acompanhava tudo com muito gosto e com os comentários de sua geração: “- Ah! O corredor africano venceu de novo! Também pudera: eles vivem fugindo todo os dias dos leões, eles têm que correr bem daquele jeito!” E quando um brasileiro chegava a uma boa posição ela e meu avô João ficavam exaltados.Meu avô era corredor no seu tempo de soldado do Exército Brasileiro (idos de 1920) e ganhou algumas medalhas nos jogos internos.
E como éramos classe média baixa, descendentes de italianos pobres e trabalhadores, não tínhamos muitos luxos nas comemorações: a “vó Cecília” assava um pernil, fazia um cuscus, cozinhava algumas castanhas portuguesas (nosso luxo!) e comíamos muitas uvas niágara, pêssegos, melancia e figos frescos. Tinha vinho de garrafão, que também era usado para fazer “sangria” para as crianças (nós bebíamos e dormíamos cedo, por que será?!?). Um “champanhe” Cereser doce (porque a bisavó gostava). O guaraná era o Antarctica de garrafinha e tampa com rolha no fundo. Chegava meia-noite, todos nos cumprimentávamos e logo cada um seguia para sua casa. Reuníamos no dia seguinte para o almoço, com macarrão feito em casa e o “rescaldo” da noite anterior. Nada de estresse. Nada de roupa especial para dar sorte, somente as pessoas juntas conversando e as crianças brincando no quintal.
Enquanto eu escrevo esta última postagem de 2012, escuto a reportagem da TV Gazeta, que ficou ligada para eu acompanhar o resto da São Silvestre, com um “show erótico” de final de ano de um “famoso” e suas bailarinas sexuais no palco. Que pena! Merecemos coisa melhor do que isso.
Tudo tem que mudar, mas para melhor, a meu ver.
Mudar só por mudar nada significa, se não se constrói coisa útil para quem está ao nosso lado. Não vejo mudanças aqui: vejo retrocesso. Voltando como se estivéssemos nas fazendas de engenho e senzalas, com os escravos servindo aos senhores, só que com o agravante destes escravos (e principalmente as escravas) estarem entorpecidos(as) por uma falsa liberdade de expressão e pelos produtos “chig-ling” facilmente encontrados em qualquer camelô.
Para os que não estão anestesiados, felicidades no seio de suas famílias e com os bons amigos de sempre!!! Muitos abraços, muita conversa, muitas risadas.
Poucos abusos e muito cuidado com excesso de bebida e os fogos de artifício (combinação nada indicada!).
Comam coisas boas, mas acima de tudo muitas frutas!!
Felicidades para todos em 2013!!
dezembro12 105

Anúncios

Quiche de Palmito


Massa:
100g de manteiga sem sal, gelada, cortada em pedacinhos
200g de farinha de trigo
1 ovo
4 colheres (sopa) de água gelada
Misture tudo com a ponta dos dedos ou bata no processador até formar a bola. Embrulhe em filme plástico e leve a gelar entre 30 minutos e 2 horas (deixei 2 horas). Abra a massa em superfície enfarinhada, forre uma forma de torta untada, fure o fundo e laterais com o garfo e coloque o recheio, levando a assar até as bordas começarem a ficar douradas, em forno médio baixo, por cerca de 25 a 30 minutos.
Recheio:
1 vidro de palmitos em conserva, cortados em pedacinhos
1 caixinha de creme de leite
1 copo de requeijão de boa qualidade
1 cubinho de caldo de verduras ou de galinha
1 colher (sopa) de amido de milho
salsa a gosto
óleo ou azeite para refogar (cerca de 2 a 3 colheres)
Refogue o palmito no óleo ou azeite, coloque o cubinho de caldo e mexa para dissolver. Junte o requeijão, o creme de leite, o amido dissolvido num pouquinho de água, misturando sempre. Adicione a salsa e quando começar a engrossar retire do fogo e deixe esfriar. Empregue sobre a torta aberta, salpicando queijo ralado se gostar.
A massa pode ser usada também para mini tortas e como não leva sal ou açúcar, pode ser usada tanto para recheios doces como salgados.

Pãozinho recheado ou enroladinho de salsicha

by Cybele


Pensando ainda em pãozinho e no lanche das crianças, adaptei a receita da massa dos “Corninhos” que minha avó fazia e fiz como enroladinho de salsicha. Ficaram fofos e bem saborosos.
Ingredientes:
500g de farinha de trigo
100g de manteiga ou margarina a temperatura ambiente
1 xícara cheia(chá) de leite morno
1 colher (sobremesa) de açúcar
1 colher (café) de sal
30g de fermento fresco ou 1 envelope de fermento seco biológico para pão
1 ovo
salsichas de frango, cortadas ao meio
Preparo:
Se fizer a massa na máquina de pão, coloque primeiro os ingredientes úmidos, depois o sal e açúcar, a farinha e por último o fermento seco ou o fresco dissolvido no leite morno. Programe a máquina para função “massa”, deixe misturar e crescer apenas para dobrar de volume e retire da máquina.
Se fizer à mão, dissolva o fermento no leite com o açúcar, junte a manteiga, o ovo, a farinha aos poucos e o sal, amassando até dar liga e a massa ficar macia. Deixe descansar um pouco para dobrar de volume em superfície protegida (uma tigela enfarinhada, coberta com filme plástico ajuda muito).
Separe em 5 montes de massa, abra cada monte em discos de 20 a 25 cm, cortando em 4 (ficam 4 triângulos). Coloque a meia salsicha na parte mais larga do triângulo de massa (borda) e enrole até o centro. Coloque o enroladinho com a ponta que ficou no meio para baixo na forma untada e deixe crescer mais 30 minutos (dobrar).
Pincele gema de ovo, salpique sal e asse por 25 a 30 minutos em forno pré-aquecido a 200ºC.
Rende 20 enroladinhos.

enroladinho de salsicha


Se quiser um pãozinho especial para o chá, utilize a mesma massa, mas ao invés de cortar os discos em 4 corte-os em 8 triângulos, ficando pãezinhos menores e mais delicados. Pincele gema, salpique sal e kümmel e asse por 25 minutos ou até começarem a dourar.

by Cybele

Trouxinhas Assadas – receita do Daniel (Band)


Já faz muito tempo que não assisto a TV aberta no horário dos programas de culinária, por absoluta falta de tempo e paciência com os comerciais. Mas fiz esta receita passada pelo Daniel da Receita Minuto da Band, em 2006 !!, e repasso por ser muito fácil e gostosa.
Ingredientes:
3 gemas
1 colher (sopa) de manteiga ou margarina a temperatura ambiente
1 copo de requeijão de boa qualidade
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (café) de sal
NÃO VAI FERMENTO
Preparo:
Misture os ingredientes na ordem dada, porém colocando a farinha aos poucos até dar o ponto (pode até ser menos do que pedido). A massa deve ficar macia,  não pesada. Leve a massa coberta à geladeira por 20 minutos.
Pré-aqueça o forno à temperatura media, unte uma forma.
Abra a massa  em superfície enfarinhada, corte-a em quadradinhos (calcule pela palma da mão), coloque uma colher de recheio a gosto (requeijão, frango desfiado, legumes, frios picados), feche-a unindo as pontas como uma esfiha, pincele gema e leve a assar por cerca de 20 a 25 minutos.
 

Muffin fácil – e para que complicar?

Muffin com glacê de açúcar

A querida amiga Valentina Jacome passou há anos uma receitinha super fácil e muito gostosa de muffins, que nem procuro outras. Experimente!
A quantidade é para 6 muffins médios e a massinha básica é assim:
Ingredientes secos:
1 xícara(chá) de farinha de trigo (ou 6 colheres de sopa bem cheias)
3/4 de xícara(chá) de açúcar (ou 6 colheres de sopa)
1/2 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
Misture tudo e reserve.
Ingredientes úmidos:
1 ovo grande
1/3 de xícara (chá) de óleo
1/3 de xícara (chá) de leite
essência de sua preferência (opcional)
Misture tudo e reserve.
Preparo:
Pre-aqueça o forno a 180ºC; separe 6 forminhas de papel de muffins e coloque na assadeira de muffin (aquela que tem as forminhas juntas).
Misture os ingredientes úmidos nos secos e mexa sem bater, apenas para se unirem. Coloque a massa nas forminhas de papel às colheradas, não enchendo muito (não passe de 2/3 da forma, pois os bolinhos crescerão). Leve ao forno por 20 a 25 minutos. Só isso!
Decore como mais agradar, mas a minha sugestão é um glacê de açúcar de confeiteiro (1 colher de sopa cheia) + leite (1 colher de chá ou um pouquinho mais: deve ficar uma pastinha), que se aplica sobre os bolinhos e se confeita com bolinhas “mil cores”.
Pode-se também acrescentar 1 colher (sopa) de chocolate em pó (50% cacau) ao glacê e obterá um glacê de chocolate.
Mas se quiser usar chantilly, creme de manteiga ou creme com creamcheese também ficam maravilhosos.

Muffin com glacê de chocolate

Da mesma maneira, você poderá acrescentar à receita básica uma banana amassada, ou uma maçã picadinha, ou nozes, ou coco ralado, ou cenoura ralada, etc, etc…

Rolos de Canela (Cinamon Rolls)

Gostei muito da receita apresentada no programa “A Confeitaria”, do Canal Bem Simples (NET 138), também disponível no seu site.
Fiz meus “rolls”, mas propositalmente não os separei e deixei que se unissem, como as receitas de roscas de rolos que temos visto em vários livros de culinária. Caso queiram a receita original, acessem o site do Bem Simples ou assistam o programa na TV.
No meu caso, eu não tinha nozes ou passas pedidas na receita, uma vez que um ataque de gulodice me fez comê-las todas antes mesmo de preparar os pãezinhos, mas ficaram ótimos com açucar mascavo e canela apenas, a massa bem macia e saborosa. Depois, é só separar o rolo do conjunto e comer com gosto.
Receita Original do Cinamon Rolls:
600g de farinha de trigo
60g de fermento fresco para pão(4 cubinhos)
140g de açúcar
1 ovo inteiro
250ml de leite morno
50g de manteiga mole
1/2 colher (chá) de sal
Amasse como pão em superfície enfarinhada, até obter uma massa lisa. Se tiver máquina de pão e quiser usar, também fica muito bom, bastando usar a função “massa” e deixá-la trabalhar até a massa ficar lisa e consistente. Deixe repousar em uma tigela (que mania que pegaram de chamar de bol!!A gente por acaso não tem a palavra tigela no português?) para crescer um pouco.
Depois, pré-aqueça o forno a 180ºC e unte uma assadeira grande.
Abra a massa com o rolo, em superfície enfarinhada e coloque sobre ela o recheio:
60g de manteiga amolecida
150g de açúcar mascavo
120g de nozes picadas
100g de passas de uvas pretas
1 colher (sopa) de canela em pó
Passe a manteiga na massa e misture os demais ingredientes, colocando-os sobre a manteiga. Enrole delicadamente e corte em rolos de +ou-4 dedos de largura. Coloque os rolos na assadeira, deixando um espaço, pois crescerão mais ainda. Eu os coloquei em uma assadeira menor, como disse anteriormente, e eles se unirão, pórém assaram muito bem.
Asse por uns 20 minutos. Retire do forno e pincele com um glacê feito com açucar de confeiteiro e leite(só um pouquinho para dar liga). O calor da massa vai unir o glacê.
E pronto! Vai bem no chá da tarde ou quando a gulodice bater à sua porta!

Torta de Coalhada (Dr.Oetker – 1934)

torta de coalhada

Esta é uma versão simplificada de um cheesecake, copiada de um livro de receitas de minha avó.
Massa:
60g de açúcar
150g de farinha de trigo
1 ovo
100g de manteiga sem sal gelada, cortada em cubinhos
1 colher (sopa rasa) de fermento em pó
água gelada se necessário para dar o ponto
Misture os ingredientes com a ponta dos dedos ou processe no processador até dar o ponto; abra a massa com a mão na forma untada de torta (se necessário, polvilhe sobre a massa um pouco de farinha, pois facilita espalhar na forma).Reserve.
Recheio:
500ml de coalhada, escorrido o soro
200g de açúcar
2 ovos separados, claras em neve
60g de amido de milho (maisena)
1 caixinha de creme de leite (200g)
1 colher (sopa) de essência de baunilha
150g de passas demolhadas ou avelãs trituradas
Misture a coalhada com o açúcar, as gemas e a baunilha; dissolva a maisena no creme de leite e incorpore. Junte as passas (ou as avelãs) e por último e delicadamente as claras em neve.
Montagem:
Preaqueça o forno à temperatura média, coloque o recheio sobre a massa crua e leve ao forno por cerca de 40 minutos (20 minutos em 180ºC e 20 minutos mais baixa temperatura, até começar a firmar e dourar a cobertura).
Retire do forno e deixe esfriar. Melhor servida geladinha. Ela fica mais cremosa e suave que a de ricota, muito boa mesmo!

Bolo de Mandioca


Provamos hoje esta receita no intervalo do café no Ateliê Lahera, preparada pelas hábeis mãos de nossa amiga Hilda.
500g de mandioca crua, descascada e ralada
1 pacote (100g) de coco ralado sem açúcar, reidratado com água quente
1/2 vidro de leite de coco
4 ovos separados, claras em neve
150g de manteiga
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 colheres (chá) de fermento em pó químico
Preaqueça o forno à temperatura média e unte uma assadeira média (não enfarinhe).
Bata a manteiga com o açúcar, acrescentando aos poucos as gemas e os demais ingredientes, sendo o fermento e as claras em neve por último, muito delicadamente. Coloque a massa rapidamente na forma e no forno e asse por cerca de 20 a 25 minutos, até firmar. Depois de assado e morno, corte em quadrados.
Lembra muito um bombocado, não sendo enjoativo.

Rocambole Salgado de Batatas

Rocambole de batatas com recheio de escarola refogada


Ingredientes:
1Kg a 1,2kg de batatas cozidas e espremidas como purê
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 ovo
100g de queijo parmesão ralado
Pitada de noz moscada
1 gema de ovo batida para pincelar o rocambole
Recheio: escarola cozida e refogada em 1 tablete de caldo de legumes ou em óleo, cebola picada e sal; espinafre refogado, com um pouco de farinha para engrossar e dar liga ao recheio; frango desfiado refogado.
Preparo:
Unte uma assadeira média e pré-aqueça o forno a 220ºC.
Numa tigela, coloque o purê de batatas com 1 xícara de farinha, o ovo, o queijo ralado e a pitada de noz moscada. Mexa com a colher de pau para misturar e aos poucos acrescente a outra xícara de farinha. Deve ficar macia, porém fácil de manusear.
Abra um saquinho plástico na superfície de trabalho e polvilhe ligeiramente com farinha. Coloque a massa trabalhadas e polvilhe um pouco de farinha sobre ela, de maneira a facilitar a sua abertura com as próprias mãos. Espalhe o recheio escolhido por cima e com o auxílio do plástico comece a enrolar o rocambole, bem cuidadosamente, do seu lado para frente. Feche as pontas e coloque-o na assadeira, pincelando com 1 gema de ovo batida.
Leve a assar por cerca de 25 a 30 minutos, até dourar. Sirva quente.

Pudim de Pão Simples

Receita básica para quem nunca fez pudim de pão. Você poderá incrementar com passas demolhadas ou frutas cristalizadas, se quiser.

Ingredientes:
5 pãezinhos franceses amanhecidos demolhados em água ou leite
5 ovos
Meio litro de leite (500ml)
5 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) cheia de maisena
Pitada de cravo em pó
Pitada de noz moscada
1 colher (chá) de canela em pó
Caramele uma forma de pudim média a grande (5 colheres de sopa de açúcar com 3 colheres de sopa de água, diretamente na chama do fogão, com cuidado).Se não tiver prática em fazer caramelo diretamente na forma, faça numa panelinha e espalhe na forma de pudim.
Pré aqueça o forno a 220ºC e ferva um canecão de água.
Bata todos os ingredientes no liquidificador e despeje na forma caramelada. Coloque esta em uma assadeira no forno e na assadeira coloque a água quente. Cubra a forma de pudim com papel laminado, mantendo nos primeiros 25 minutos. Retire o laminado e asse por cerca de mais 35 minutos, até firmar. Isto evitará que se forme uma crosta dura sobre o pudim e facilitará seu cozimento.
Retire da forma quando morno.